sábado, 31 de julho de 2010

Onde chegaram as pessoas e o perigo que correm

Ser ou não ser de ninguém?
Eis a questão da geração tribalista
por Mônica Montone

Na hora de cantar todo mundo enche o peito nas boates, levanta os braços, sorri e dispara: "eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo e todo mundo é meu também". No entanto, passado o efeito do uísque com energético e dos beijos descompromissados, os adeptos da geração "tribalista" se dirigem aos consultórios terapêuticos, ou alugam os ouvidos do amigo mais próximo para reclamar de solidão, ausência de interesse das pessoas, descaso e rejeição. A maioria não quer ser de ninguém, mas quer que alguém seja seu.

Beijar na boca é bom? Claro que é! Manter-se sem compromisso, viver rodeado de amigos em baladas animadíssimas é legal? Evidente que sim. Mas por que reclamam depois? Será que os grupos tribalistas se esqueceram da velha lição ensinada no colégio, de que "toda ação tem uma reação"? Agir como tribalista tem conseqüências, boas e ruins, como tudo na vida. Não dá, infelizmente, para ficar somente com a cereja do bolo - beijar de língua, namorar e não ser de ninguém. Para comer a cereja é preciso comer o bolo todo e nele, os ingredientes vão além do descompromisso, como: não receber o famoso telefonema no dia seguinte, não saber se está namorando mesmo depois de sair um mês com a mesma pessoa, não se importar se o outro estiver beijando outra, etc, etc, etc.

Embora já saibam namorar, "os tribalistas" não namoram. Ficar também é coisa do passado. A palavra de ordem hoje é "namorix". A pessoa pode ter um, dois e até três namorix ao mesmo tempo. Dificilmente está apaixonada por seus namorix, mas gosta da companhia do outro e de cultivar a ilusão de que não está sozinho. Nessa nova modalidade de relacionamento, ninguém pode se queixar de nada. Caso uma das partes se ausente durante uma semana, a outra deve fingir que nada aconteceu - afinal, não estão namorando. Aliás, quando foi que se estabeleceu que namoro é sinônimo de cobrança?

A nova geração prega liberdade, mas acaba tendo visões unilaterais. Assim como só deseja "a cereja do bolo tribal", enxerga apenas o lado negativo das relações mais sólidas. Desconhece a delícia de assistir um filme debaixo das cobertas num dia chuvoso comendo pipoca com chocolate quente, o prazer de dormir junto abraçado roçando os pés sob as cobertas e a troca de cumplicidade, carinho e amor. Namorar é algo que vai muito além das cobranças. É cuidar do outro e ser cuidado por ele, é telefonar só para dizer boa noite, ter uma boa companhia para ir ao cinema de mãos dadas, transar por amor, ter alguém para fazer e receber cafuné, um colo para chorar, uma mão para enxugar lágrimas, enfim, é ter alguém para amar.

Já dizia o poeta Carlos Drummond de Andrade que "amar se aprende amando" e se seguirmos seu raciocínio, esbarraremos na lição que nos foi transmitida nas décadas passadas: relação é sinônimo de desilusão. O número avassalador de divórcios nos últimos tempos, só veio confirmar essa tese e aqueles que se divorciaram (pais e mães dos adeptos do tribalismo) vendem (na maioria das vezes) a idéia de que casar é um péssimo negócio e que uma relação sólida é sinônimo de frustrações futuras. Talvez seja por isso que pronunciar a palavra "namoro" traga tanto medo e rejeição. No entanto, vivemos em uma época muito diferente daquela em que nossos pais viveram. Hoje podemos optar com maior liberdade e não somos mais obrigados a "comer sal junto até morrer". Não se trata de responsabilizar pais e mães, ou atribuir um significado latente aos acontecimentos vividos e assimilados na infância, pois somos responsáveis por nossas escolhas, assim como o que fazemos com as lições que nos chegam. A questão não é causal, mas quem sabe correlacional.

Podemos aprender amar se relacionando. Trocando experiências, afetos, conflitos e sensações. Não precisamos amar sob os conceitos que nos foram passados. Somos livres para optar. E ser livre não é beijar na boca e não ser de ninguém. É ter coragem, ser autêntico e se permitir viver um sentimento... É arriscar, pagar para ver e correr atrás da felicidade. É doar e receber, é estar disponível de alma, para que as surpresas da vida possam aparecer. É compartilhar momentos de alegria e buscar tirar proveito até mesmo das coisas ruins.

Ser de todo mundo, não ser de ninguém é o mesmo que não ter ninguém também... É não ser livre para trocar e crescer... É estar fadado ao fracasso emocional e à tão temida solidão.

* * * * * * * * * * * * * * *

Esse texto tem sido atribuído a Arnaldo Jabor (como muitos outros), mas é de Mônica Montone, poeta. Você pode confirmar no site:
http://www.culturall.com.br/poesia/megazine_2003.asp

quarta-feira, 28 de julho de 2010

O valor da Fe

Os cinco passos da vitória
Através do profeta Oséias o Senhor diz que a causa de o Seu povo estar sendo destruído é a falta de conhecimento (Os 4.6). Nesta segunda lição do Curso Fé, vamos adquirir um pouco mais do entendimento que nos ajudará na caminhada rumo à vida abundante trazida por Jesus.

Um dos pontos mais importantes e polêmicos deste estudo é a falsa declaração de que a fé remove montanhas. Por mais estranho que possa parecer, ou por mais que possa chocar, a verdade é que a fé nunca removeu um só grão de areia.

Veremos, entretanto, a importância da fé, e o que ela pode fazer por nós.
Aprenderemos que devemos nos dirigir ao problema, e ordenar-lhe que saia de nossa frente, da nossa vida e que se lance ao mar.

Ainda veremos que duvidar no coração é o bastante para que todo o trabalho seja desperdiçado, impedindo assim a realização da obra de Deus.

Uma das mais profundas declarações sobre a determinação é o tópico a ser estudado sobre a declaração do Senhor Jesus: E crer que se fará o que diz. Aqui está o segredo que produz o milagre.

Para encerrar, temos a afirmativa do Mestre de que tudo o que dissermos nos será feito.

Os Cinco Passos da Vitória são o ideal a ser seguido por quem quiser, de fato, tornar-se vencedor em todas as coisas.

Em Cristo, R. R. Soares.

Dica: passe o mouse sobre os links laranjas para ler as Passagens Bíblicas!
E, no dia seguinte, quando saíram de Betânia, teve fome.

E, vendo de longe uma figueira que tinha folhas, foi ver se nela acharia alguma coisa; e, chegando a ela, não achou senão folhas, porque não era tempo de figos.

E Jesus, falando, disse à figueira: Nunca mais coma alguém fruto de ti. E os seus discípulos ouviram isto.

...E eles, passando pela manhã, viram que a figueira se tinha secado desde as raízes.

E Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Mestre, eis que a figueira, que tu amaldiçoaste, se secou.

E Jesus, respondendo, disse-lhes: Tende fé em Deus.

Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar; e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito (Mc 11.12-14, 20-23).

Este texto nos fornece inúmeras lições. A parte em negrito é a que vamos estudar nesta lição.

A FÉ QUE NUNCA REMOVEU MONTANHAS

Durante séculos, milhares de pessoas têm encontrado inspiração nesta narrativa. Também foi deste relato que alguém, sem ter o trabalho de verificar bem, cunhou a célebre frase: "A FÉ REMOVE MONTANHAS." Frase bonita, conhecida em todo o mundo. Crida e recitada por milhões de pessoas e até mesmo pêlos inimigos da fé cristã. Frase que não aguenta o menor confronto com a Escritura - por ser mentirosa.

Lembro-me bem de quando disse aos nossos pastores que a fé não removia montanhas. Eles se entreolharam e depois, numa atitude de espanto, me perguntaram: "Como é que é?" O mesmo sempre acontece quando, em nossas igrejas, eu digo ao povo que a fé não remove montanhas. É compreensível este espanto, e, na verdade, esta é uma das razões por que tanta gente com tanta fé não recebe praticamente nada de Deus.

Nesta história, relatada por Marcos, vamos estudar os versículos 22 e 23 do capítulo 11. Neles encontraremos OS CINCO PASSOS DA VITÓRIA.


1° Passo: TER FÉ EM DEUS

E Jesus, respondendo, disse-lhes: Tende fé em Deus (Mc 11.22). A nossa fé tem que estar só em Deus. Muitos crêem em Deus e também em outras coisas. Alguns na sua igreja, outros no pregador, na virgem Maria, em algum santo, em lugares especiais, e há certas pessoas que chegam ao absurdo de fazer peregrinações a cemitérios para colocar a mão no túmulo de alguém que morreu injustiçado e que, segundo elas, estaria operando milagres. Estas pessoas jamais conseguirão ter fé em Deus; pois, a fé vem por ouvir a Palavra de Deus(Rm 10.17). E quem age desta maneira, além de não estar ouvindo a Deus, está praticando exatamente o que a Bíblia condena.

A Palavra de Deus nos informa o que é fé: A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem (Hb 11.1). Quando damos ouvidos à Palavra de Deus, aparece no nosso espírito uma certeza de que aquilo que a Palavra revela nos pertence. Isto é o que é fé. É esta a fé que precisamos ter em Deus.

A nossa fé tem que estar em Deus, só nEle. Ele não aceita dividir a Sua glória com nenhum outro. Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória pois a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura (Is 42.8).


2° Passo: FALAR AO MONTE

... Qualquer que disser a este monte... (Mc 11.23). Nós temos que falar ao monte, ao problema, à miséria, à doença, à dor, que saiam de nossa vida. O que remove montanhas é a nossa palavra.

Eu mesmo tenho que confessar que preguei muitas vezes dizendo que a fé removia montanhas. Eu havia aprendido a falar assim; tinha ouvido os maiores pregadores do mundo assim se expressarem. Desta forma, tenho que pedir publicamente perdão por esta mentira que ensinava, pois a fé nunca removeu um só grão de areia. O que remove montanhas é a palavra. A Palavra de Deus? Não, a nossa.

É claro que a fé é necessária. Ela é o primeiro passo para a vitória. Mas, se alguém der o primeiro passo e não der o segundo, a obra não será feita. Após termos fé em Deus, temos que falar à montanha.

Costumo exemplificar assim: "A fé é o combustível, a palavra é o veículo. Nenhum veículo anda sem combustível e nenhum combustível remove montanhas".

Deus é um Deus de fé, isto é: Ele possui toda a fé, Ele é perfeito. No entanto, no início, quando o Senhor criou os céus e a terra, Ele não ficou dizendo para Si mesmo que tinha fé para criar o que quisesse e que assim, numa hora dessas, criaria uma porção de coisas. Ao contrário, diz a Bíblia que Ele, o Senhor, agiu segundo estes princípios que estamos estudando. E disse Deus... e o resultado nós conhecemos.


3º Passo: NÃO DUVIDAR EM SEU CORAÇÃO

... e não duvidar em seu coração... (Mc 11.23).

Aqui está praticamente a chave de tudo. Você pode ter fé em Deus, falar ao problema que saia da sua vida e esperar que assim aconteça. Mas, se lá no fundo do seu coração, no íntimo do seu espírito, você duvidar, pode esquecer o que você determinou.

Tenho observado que sempre que peço algo ao Senhor, ou quando determino que algo aconteça e não recebo, é porque lá no meu íntimo eu duvidava.

Duvidar no coração é uma declaração interior de que realmente não cremos naquilo que estamos fazendo. A mente pode estar muito bem sugestionada de todos os modos possíveis, mas, se o nosso coração duvidar, nada iremos receber.


4° Passo: CRER QUE SE FARÁ AQUILO QUE DIZ

... mas crer que se fará aquilo que diz... (Mc 11.23).

Esta é a consequência natural do terceiro passo. Se não duvidamos no coração, devemos crer. E, quem crê, se expressa. Observe que aqui Jesus não está dizendo que devemos crer que receberemos aquilo que pedimos ou oramos, mas, sim, o que dizemos. Muitos dizem que crerão quando receberem a bênção ou virem algum sinal. Esta não é a fórmula bíblica para recebermos as bênçãos, pois, se alguém vê, não precisa crer. Se quisermos receber o que a Bíblia promete, temos que agir conforme as normas
estabelecidas na Palavra de Deus. Temos que crer que se fará o que falamos.

Podemos dizer que crer é lutar contra as evidências. Crer também significa acreditar que já está sendo feito aquilo que determinamos.


5º Passo: TUDO QUE DISSER LHE SERÁ FEITO

... tudo o que disser lhe será feito (Mc 11.23).

Este passo não é nosso, é do Senhor.

Vamos recordar a nossa parte no processo do recebimento das bênçãos. Primeiro, temos que ter fé, a certeza das coisas que se esperam, em Deus - só nEle (ela vem por ouvir a Palavra de Deus). A seguir, devemos nos dirigir ao problema e, com voz de autoridade, ordenar que saia de nossa vida. Ato contínuo, não podemos permitir que o nosso coração duvide. Em seguida, precisamos crer que aquilo que falamos nos será feito e, então, teremos a obra feita. Por quem? Certamente será pelo poder de Deus.


A NOSSA POSIÇÃO DE FILHOS DE DEUS

A nossa posição como filhos de Deus é altamente privilegiada. Somos nós que fazemos a diferença. A bênção de que precisamos não depende mais do Senhor e, sim, de nós. É diferente, não é? Pois bem, a nossa responsabilidade aumenta na proporção em que aprendemos a Verdade. Agora que sabemos como fazer o poder de Deus agir em nosso favor, não podemos ficar nos enganando, tentando fórmulas mágicas inventadas por qualquer pessoa. Aquele que quer realmente vencer há de tomar as suas decisões sobre o que a Palavra revela, pois é a própria Palavra que trará a libertação que ele deseja: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Jo 8.32).
"No dia seguinte, depois de saírem de Betânia teve fome, e avistando de longe uma figueira que tinha folhas, foi ver se, porventura, acharia nela alguma coisa; e chegando a ela, nada achou senão folhas, porque não era tempo de figos. E Jesus, falando, disse à figueira: Nunca mais coma alguém fruto de ti. E seus discípulos ouviram isso.""Quando passavam na manhã seguinte, viram que a figueira tinha secado desde as raízes. Então Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Olha, Mestre, secou-se a figueira que amaldiçoaste. Respondeu-lhes Jesus: Tende fé em Deus. Em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar; e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, assim lhe será feito." "Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo.""Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem.""Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não a darei, nem o meu louvor às imagens esculpidas.""No princípio criou Deus os céus e a terra. A terra era sem forma e vazia, e havia trevas sobre a face do abismo, mas o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas. Disse Deus: haja luz. E houve luz. Viu Deus que a luz era boa, e fez separação entre a luz e as trevas. E Deus chamou à luz dia, e às trevas noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro. E disse Deus: haja um firmamento no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. Fez, pois, Deus o firmamento, e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das que estavam por cima do firmamento. E assim foi. Chamou Deus ao firmamento céu. E foi a tarde e a manhã, o dia segundo. E disse Deus: Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu, e apareça o elemento seco. E assim foi. Chamou Deus ao elemento seco terra, e ao ajuntamento das águas mares. E viu Deus que isso era bom. E disse Deus: Produza a terra relva, ervas que dêem semente, e árvores frutíferas que, segundo as suas espécies, dêem fruto que tenha em si a sua semente, sobre a terra. E assim foi. A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo as suas espécies, e árvores que davam fruto que tinha em si a sua semente, segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro. E disse Deus: haja luminares no firmamento do céu, para fazerem separação entre o dia e a noite, sejam eles para sinais e para estações, e para dias e anos, e sirvam de luminares no firmamento do céu, para alumiar a terra.""E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará."
Deixe seu comentario.
Materia retirada em pesquisa na Internete.

O valor da

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Voce, Candidato a servo inutil?



Um ao outro ajudou e ao seu companheiro disse:
Esforça-te. Isaías 41:6

Temos uma missão enquanto estamos nesta terra, que é a de ajudar o nosso irmão, lembre-se disso, muitas vezes somente nossas dificuldades parece ter valor, alguém chega e compartilha uma luta, ou dificuldade que está vivendo, e nós, prontamente o atacamos com nossos problemas, querendo ainda, mostrar que o nosso é muito maior.

A igreja de Jesus, deveria ser um lugar de ajuda mútua, onde o fraco acharia descanso palavra de apoio e fortalecimento, onde o doente teria a cura para suas enfermidades físicas e na alma, onde os traumatizados recebessem o alivio de seus traumas, onde o solitário encontrassem uma família para poder abraçar.

A igreja deve ser uma casa de misericórdia, onde ministramos nossos sentimentos profundos pelos necessitados, e assim a salvação, a cura, o alivio será parte de nosso ministério; portanto quando alguém chegar-se a nós, não vamos colocar um fardo maior do que ele já carrega; como nossas doutrinas, regulamentos e tradições que não entrarão no céu, e sim, procurar saber como aliviá-lo através da oração, e depois ministrar-mos palavras de cura e de ânimo, pois não somos melhores do que ninguém, só estamos a mais tempo debaixo da Graça de Deus, portanto quanto mais temos mais será cobrado de nós.

Diga ao seu companheiro: Esforça-te, diga ao fraco: esforça-te, diga ao desanimado: esforça-te, essa palavra "esforça-te" pode ser transformada em aconselhamentos, em discipulado, em campanhas de oração e jejum, ou simplesmente em companheirismo e amizade sincera regadas de preocupação com seu próximo
Pense nisto Pr Elon – Ministério Redenção Plena

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Homem e mulher: antes e depois do pecado





Não sei se você já se atentou para a diferença entre Adão e Eva, antes e depois do pecado. Digo diferença como casal. Bem… desde que me entendo por gente eu conheço a história relatada em Gênesis, mas nunca havia me atentado para o que quero falar aqui hoje. Na verdade, quem me fez refletir sobre isso foi Marquinhos (pra variar).

Bem… se prestarmos muita atenção, antes do pecado entrar de fato no mundo e o casal ser expulso do jardim, podemos observar um amor imenso da parte de Adão. Este, diante da possibilidade de perder sua amada, abriu mão de sua vida e comeu do fruto que ela comera, para pagar juntamente com ela o preço da desobediência – a morte. Até então, ambos se alimentavam do fruto da árvore da vida, que lhes possibilitava vida sem fim.

Agora, vamos diretamente para a parte em que Deus conversa com eles sobre o que haviam feito. Mais precisamente o seguinte texto:

“Perguntou-lhe Deus: Quem te fez saber que estavas nu? Comestes da árvore que te ordenei que não comesses?
Então disse o homem: A mulher que me deste por esposa, ela me deu da árvore e eu comi.” (Gêneses 3:11 e 12)

Não sei se já perceberam o que quero ressaltar aqui. O fato é que, antes do pecado, Adão não mediu esforços para não perder Eva, mas… depois do pecado, ele não mediu esforços para colocar a culpa na mulher, ao invés de assumir sua própria culpa.

Algo extremamente comum hoje, não é? Parece que vivemos com freqüência a mesma posição de Adão após o pecado. Quando as coisas apertam, pulamos fora do barco e deixamos a culpa para o outro. Inclusive muitos casais passam por isso, quando na verdade, o amor puro, aquele que havia no paraíso, era do tipo “dar a vida por”.

seja feliz!!!
Karyne M. Lira Correia

terça-feira, 20 de julho de 2010

Viva bem








Atividades físicas podem ajudar no controle da asma, indica estudo

Apesar de os exercícios físicos, frequentemente, desencadearem sintomas de asma em algumas pessoas, há evidências de que asmáticos fisicamente ativos têm melhor controle da doença respiratória do que os sedentários, segundo especialistas da Universidade de York, no Canadá. Em estudo com 36 adultos com asma, os pesquisadores descobriram que aqueles que não conseguiam controlar completamente a doença com medicação apresentavam bons resultados com a inclusão de atividades físicas em sua rotina.

Publicados na edição de junho do European Respiratory Journal, os resultados indicaram que os 18 pacientes que participaram de um programa de exercícios supervisionados - atividades aeróbicas três dias e musculação um dia por semana - por três meses tiveram uma melhora significativa no controle dos sintomas, passando da categoria “relativamente bem controlado” para a “bem controlado”. Além disso, o grupo que se exercitou apresentou ganhos em qualidade de vida associada à doença, incluindo melhorias na capacidade de realizar as atividades diárias e no bem estar emocional.

“A mensagem deste estudo é que 30 minutos de exercícios aeróbicos em intensidade moderada a vigorosa três dias por semana podem levar a melhorias significativas no controle da asma”, destacou a pesquisadora Shilpa Dogra. De acordo com a especialista, apesar de o estudo ter utilizados exercícios supervisionados, os asmáticos podem aumentar seus níveis de atividades físicas por si mesmos, mas apenas após consultarem seu médico.

Por causa das limitações do estudo, como a pequena quantidade de pacientes avaliados, mais pesquisas são necessárias para confirmação dos benefícios das atividades físicas no controle dos sintomas respiratórios e para avaliar se os resultados são similares no caso das crianças.


Fonte: Boa Saúde

Dicas pra viver melhor no transito





Um dos maiores números de morte aqui no Brasil é por causa de acidentes de trânsito, que são provocados pelos próprios motoristas, só que poriam ser evitado com algumas precauções.

A dica é ter mia prudência, obedecer as placas de sinalizações, não dirigir alcoolizado, não ultrapassar o limite de velocidade, colocar o cinto de segurança, não tomar calmantes fortes, entre outras.

Você vai não só cuidar da sua saúde, mas como também de outras pessoas. O risco pode estar bem mais próximo do que você pensa. Então evite, mantenha todos os cuidados, ajuda a diminuir o número de acidentes.

Cada vez mais por conta da imprudência de motoristas o número de acidentes tem se expandido.Seja nas estradas ou na própria cidade todos os dias há ocorrência de alguma fatalidade.No Rio de janeiro e em São Paulo são os locais onde mais casos desse procedimento ocorrem.

Alguns tipos de imprudência são:

Dirigir com excesso de velocidade
Ultrapassagem de veículos e do semáforo
Falar ao telefone quando se está dirigindo
Não respeitar a faixa de pedestres
Estar alcoolizado

Se o condutor tiver consciência de todas as regras de transito, assim como o respeito pelas mesmas, certamente não irá cometer prejuízos para outras pessoas e para si mesmo.E isso fará com que o índice de acidentes de transito seja reduzido o que já seria de grande auxílio.

sábado, 17 de julho de 2010

MENSAGEM DA SEMANA


PROGRMA FAMILIA OBRA PRIMA DE DEUS
Abençoando famílias.
Reflexão da semana.

A FÁBULA DA ÁGUIA E DA GALINHA

Esta é uma história que vem de um pequeno país da África Ocidental, Gana, narrada por um educador popular, James Aggrey, nos inícios deste século, quando se davam os embates pela descolonização. Oxalá nos faça pensar sempre a respeito.
"Era uma vez um camponês que foi à floresta vizinha apanhar um pássaro, a fim de mantê-lo cativo em casa. Conseguiu pegar um filhote de águia.
Colocou-o no galinheiro junto às galinhas. Cresceu como uma galinha.
Depois de cinco anos, esse homem recebeu em sua casa a visita de um naturalista.

Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:
- Esse pássaro aí não é uma galinha. É uma águia.
- De fato, disse o homem.- É uma águia. Mas eu a criei como galinha. Ela não é mais águia. É uma galinha como as outras.
- Não, retrucou o naturalista.- Ela é e será sempre uma águia. Este coração a fará um dia voar às alturas.
- Não, insistiu o camponês. Ela virou galinha e jamais voará como águia.
Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e, desafiando-a, disse:
- Já que você de fato é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, então abra suas asas e voe!
A águia ficou sentada sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas.
O camponês comentou:
- Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha!
- Não, tornou a insistir o naturalista. - Ela é uma águia. E uma águia sempre será uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã.
No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa.
Sussurrou-lhe:
- Águia, já que você é uma águia, abra suas asas e voe!
Mas, quando a águia viu lá embaixo as galinhas ciscando o chão, pulou e foi parar junto delas.
O camponês sorriu e voltou a carga:
- Eu havia lhe dito, ela virou galinha!
- Não, respondeu firmemente o naturalista. - Ela é águia e possui sempre um coração de águia. Vamos experimentar ainda uma última vez. Amanhã a farei voar.
No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram a águia, levaram-na para o alto de uma montanha. O sol estava nascendo e
dourava os picos das montanhas.
O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe:
- Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra suas asas e voe!
A águia olhou ao redor. Tremia, como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então, o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, de sorte que seus olhos pudessem se encher de claridade e ganhar as dimensões do vasto horizonte.
Foi quando ela abriu suas potentes asas.
Ergueu-se, soberana, sobre si mesma. E começou a voar, a voar para o alto e voar cada vez mais para o alto.
Voou. E nunca mais retornou."
Existem pessoas que nos fazem pensar como galinhas. E ainda até pensamos
que somos efetivamente galinhas. Porém é preciso ser águia. Abrir as asas e voar. Voar como as águias. E jamais se contentar com os grãos que jogam aos pés para ciscar.”
Extraído de artigo publicado pela Folha de São Paulo, por Leonardo Boff, teólogo, escritor e professor de ética da UERJ.

sábado, 10 de julho de 2010

CONFISSÕES DE UMA EX-ESPOSA DE PASTOR




Traindo meu melhor amor

Ele disse um dia: em primeiro lugar está meu ministério.
Senti-me traída, a mais traída das mulheres. Posso até “competir” com outra mulher, outros lábios, outro corpo, outros abraços, outros beijos e ganhar (ou perder) a batalha. Mas com o “ministério” é demais pra mim. Foi pior que vê-lo na cama com outra.
Claro que se ele dissesse "Deus está em primeiro lugar na minha vida" eu aplaudiria e ficaria feliz, mas ministério não é Deus, e esse é o problema de muitos líderes, que confundem trabalho, atividade, serviço, com relacionamento com Deus. Lastimável!
Aos poucos, ele foi demonstrando essa preferência. Eu não estava mais na sua listinha de prioridades, nem eu, nem os filhos. Somente o ministério importava, por ele daria a vida, era algo quase insano, doentio. “Que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a sua família?”
De forma progressiva, suas atitudes foram se tornando agressivas e incoerentes, pois como alguém que viajava pelo mundo falando do amor de Deus não conseguia de fato amar sua própria família? Primeiramente, vieram agressões verbais, depois as físicas, a mim e aos filhos. Nada que questionasse ou desvalidasse seu ministério poderia ser refutado ou contrariado. Ele reagiria com unhas e dentes. A família não importava mais, somente seu belo e frutífero ministério.
E assim segui... fingindo por 18 anos para todos e pra mim mesma que tudo isso era normal, e que para não envergonhar o ministério (dele), eu deveria aceitar calada a situação.
Ah! Mas como Deus me ama... Me ama tanto que foi ele mesmo que disse: “Filha: chega disso!”
Foi então que liberei o tão dedicado pastor e missionário de seu jugo de ter uma família. Agora ele deve estar feliz sozinho “servindo ao Senhor”.
Seguimos eu e meus filhos rumo ao centro da vontade de Deus, que é perfeita e agradável. Um Deus que ama e que não deixa seus filhos sofrerem além do que podem suportar.
Sim, eu fui traída. Sim, ele cometeu adultério. Adulterou com o próprio ministério, em nome de Deus, destruindo a própria família. Eu já o perdoei, mas acho que nunca vou entender...

********************
comentario sobre o texto acima:

O nosso ministério e de fundamental importância no reino de Deus, fazer a obra que nos foi confiada e honroso e gratificante, levar as pessoas a uma consciência de que precisam de mudanças e urgente, mesmo que tenhamos que viajar e sacrificar alguns momentos de nossas vidas, toda via não podemos esquecer um principio básico e indispensável para o sucesso do mesmo.
1. Observar a palavra de Deus, que diz com decência e ordem e não de forma desorganizada o qual pode colocar em perigo a missão confiada.
2. Outro princípio e colocar em primeiro lugar a sua casa. Esposa, filhos e você mesmo. Ninguém terá sucesso em qualquer atividade principalmente pastoral se não tiver tempo disponível para as pessoas que fazem parte de sua vida, como posso amar o próximo, me dedicar a tantas pessoas, sejam em nosso bairro, na cidade, no pais ou no mundo se eu não valorizar as pessoas que compartilham comigo, vivem diariamente, dependem diretamente de mim e eu deles? Meu amor, minha dedicação vem em primeiro lugar a família, diga- se de passagem a minha família.
3. Vejo um grande perigo nessa Área. Recebo mensalmente em media de 250 ligações diversas em meus programas de radio de casais que estão a ponto de uma separação por vários motivos e o mais comum por dedicação exarcebada as atividades que sucumbem o tempo da família. Empresários, autônomos, pessoas simples da sociedade, sem contar nos casos de acompanhamento a casais que com uma agenda lotada estão lançados ao destino e muitos vivem de uma aparência que os matam implacavelmente seus sonhos, seus ideais.
4. O pastor tem que desenvolver seu papel de sarcedote, mas o sarcedote antes de tudo e pai, amigo, esposo e amante. Pra começar e todos precisam de um orientador, alguém que os escutem, que os consolem. Isso requer estrutura emocional e dependendo da quantidade de atendimento o pastor pode sofrer com isso. Stress, depressão, por querer resolver os problemas a ele exposto e as vezes por suas limitações humanas sofre e principalmente quem estiver mais próximo nesse caso a sua família.
5. Escolha pessoas de sua confiança para exercer atividades. Pessoas competentes, habilidosas, preparadas; pois ninguém e de ferro.
6. Tire um dia da semana pra sua família. Passear, jantar, visitar amigos, ler um bom livro, assistir um filme junto aos filhos independente da idade, claro se eles quiserem. Faca munganga ( palhaçada) imite alguém!!! De risadas, seja feliz você merece.
7. Tire um dia so pra você: Para andar, ir ao shop pra ver as lojas, conversar na praça de alimentação com amigos, fazer um higiene mental, ouça uma boa musica que combine com seu estilo.
Finalizando não sou psicólogo, mas procuro viver esses conselhos na pratica, observando uma recomendacao simples e objetiva encontrada na fonte de conduta e regra a Palavra de Deus. Mas, se alguém não cuida dos seus, e especialmente dos da sua família, tem negado a fé, e é pior que um incrédulo" I Tim 5.8.

Por motivos óbvios, a identidade da autora do texto será mantida em sigilo.
Fonte : Materia extraida de um site de Familia
Comentarios: Pr. Marcelo Farias. " O Pastor da Familia"





















.