terça-feira, 26 de outubro de 2010

Casados para a vida inteira.























Foi realizado sábado dia 23 de outubro do ano em curso na Cidade de Garanhuns, no Estado do Pernabunco o I Seminário pra casais na Igreja Batista Pentecostal, presidida pelo Jovem Pastor Erinaldo e sua mui digna esposa a Irma Zinha, como e chamada carinhosamente por todos. Foi um dia muito especial, onde casais refletiram sobre seu relacionamento e ao mesmo tempo fortalecer seu casamento, deixado aflorar a paixão que foi o ponto alto do evento. Muitas brincadeiras, declaração de amor, beijos, isso foi o que não faltou, todos descontraído rindo à-vontade. Alianças renovadas, promessas mantidas firme e acima de tudo o nome de JESUS foi glorificado.

A missionária Dulcinea ministrou as mulheres, falando da importância de compreender seus maridos, administrar a vida afetiva, levando-as a valorizar e investir em seu próprio bem estar. Somos o melhor de Deus e por isso temos que ter ciência que somos especiais, mulheres com uma missão, de servir à família a sociedade porem acima de tudo ao SENHOR JESUS, sem esquecer que no contesto geral temos que ser feliz, pois fomos criadas para ser feliz.

O pastor Marcelo Farias, também teve um bate papo com os homens, mostrado que temos como obrigação de primar pela vida afetiva, emocional e espiritual de nossas esposas, mostrando erros que os maridos não devem cometer. O casal recepcionou os palestrantes de forma maravilhosa e acolhedora e comentou já os resultados do evento ainda na primeira palestra. O sucesso foi tão maravilhoso que o PR. Erinaldo já pensa em fazer o II seminário pois acredita que esse tipo de trabalho que de suma importância para aqueles que querem ganhar almas para o reino de Deus.

O projeto família obra prima de Deus, abençoando vidas, agradece a todos os casais que estiveram nesse conclave espiritual, pela oportunidade de levar a todos uma palavra de motivação, de auto- estima, de valorização pessoal. Pois acredita na família e investe na mesma objetivando e gerando união, amor e fidelidade, pois só assim a família vencera os desafios do mundo presente que vem como uma tempestade para destruir nossas casas e nosso maior patrimônio. A comunhão com o cônjuge com os filhos e acima de tudo com o autor da Família que e o próprio Deus.

Autor. Pr. Marcelo Farias.

sábado, 16 de outubro de 2010

Cuidado! O adultério mata a felicidade de uma familia



Por: Pr. Falcão Sobrinho

Anselmo estava tentando cortar um caroço de abacate ao meio quando uma das metades escapuliu das suas mãos, bateu no seu peito e caiu ao chão. Tereza Maria, a esposa, viu o acontecido e mandou que Anselmo tirasse a camisa, que ela levou para o tanque, aplicou a pré-lavagem e esfregou sabão, mas era tarde.
A linda camisa azul já estava com a feia nódoa. Anselmo gostava daquela camisa. Comprou tinta preta e pediu para Tereza Maria tingir a camisa. Ela seguiu as instruções da embalagem, a camisa ficou bem tingida, mas a nódoa continuava visível. Aquela camisa nunca mais ele poderia usar.
Cuidado! O adultério põe uma nódoa no coração, uma nódoa indelével que ficará para o resto da vida. Pode-se tingir a mente com as tintas de outras doutrinas, pode-se tomar banho de emoções, o tempo vai passar, mas o coração maculado pelo adultério continuará com aquela nódoa na vestidura da alma de quem pecou. A camisa pode ser coberta pelo paletó, mesmo que seja o paletó de um pastor, ninguém vai ver a nódoa, mas o adúltero vai saber que a mancha está lá e não vai se sentir livre nem feliz. Paulo diz: “Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o que se prostitui peca contra seu próprio corpo”. (1 Coríntios 6.18). Corpo que é templo do Espírito Santo, daí a gravidade do adultério. Realmente, há pecados dos quais a gente se esquece.
O tempo se encarrega de apagá-los da memória, pois do contrário a vida se tornaria insuportável à medida que o tempo fosse passando, pois só vamos parar de pecar quando entrarmos na glória. O adultério, porém, fica indelevelmente marcado no íntimo do ser. Deus perdoa, Deus lava pelo bendito e gracioso sangue de Jesus, mas as sequelas do adultério vão desdobrando seus maléficos resultados.
Davi adulterou, não foi? Deus perdoou a Davi, mas teria sido melhor que ele não tivesse cometido adultério. O pecado de Davi tem sido usado por muitos para atenuar e desculpar o seu próprio adultério. Mas as terríveis conseqüências profetizadas por Natã (2 Samuel 12.10-12) não deixaram de acontecer. O filho daquele pecado, para grande tristeza de Davi, não sobreviveu. A deterioração do conceito de pureza e fidelidade teve tristes resultados. Um dos filhos de Davi estuprou a própria irmã e foi assassinado pelo irmão. Outro filho de Davi se rebelou e tentou usurpar o trono, obrigando Davi a fugir de Jerusalém. O filho que depois ele obteve de Betsabá, Salomão, que herdou o trono, teve muitas mulheres e por elas foi levado à idolatria, que resultou, finalmente, na divisão do reino, como, infelizmente, muitas igrejas têm sido divididas por causa de pecado daqueles que deveriam zelar pela pureza. Deus perdoou, mas as consequências sobrevieram inexoráveis.
No mesmo capítulo de 1 Coríntios acima citado, Paulo declara: “Ou não sabeis que o que se une à meretriz faz-se um corpo com ela? Porque foi dito, os dois serão uma só carne. Mas o que se une ao Senhor é um só espírito com ele” (1 Coríntios 6.16-17). Preste atenção à adversativa do versículo 17: “Mas”. Esta cláusula é eliminatória. Ou uma coisa ou outra. Ou unir-se a outra mulher em adultério, ou unir-se a Cristo. Não é possível estar em adultério e ao mesmo tempo estar unido a Cristo. Assim, durante todo o tempo em que o adúltero esteve em pecado, estava separado de Cristo.

O tempo do adultério foi um tempo absolutamente perdido para a vida cristã, para a oração, para a fé. Se houver sincero arrependimento e plena confissão do pecado, pela graça, a união com Cristo é restabelecida. As conseqüências do pecado, porém, advirão no devido tempo. Por saber disso, Jesus nos adverte de que não devemos parar de vigiar para que não venhamos a cair em tentação e macular, não a camisa, mas o coração.

sábado, 9 de outubro de 2010

Protejam suas famílias e seus direitos.




Texto: Neemias. 4. 13-14


Parabenizo a coragem de um dos maiores pastores no Brasil, que tem a ousadia de expor sua posição contra aquilo que entende como agressão aos direitos do ser livre independente de seu credo ou posição social. Vivemos em um pais soberano, de pessoas nobres, de pessoas cultas, mas também de pessoas que não medem esforços para denegrir e tirar proveitos e causar estragos por onde passa só para tirar proveitos pessoais.
O meu colega de Ministério o pr. Silas Silas Malafaia esta simplesmente exercendo seu direito de cidadão, nem ele e nem a comunidade Evangélica e contra a pessoa do gay ou movimento semelhante, mas como ele disse em seu programa de tv. O que não aceitamos e uma lei absurda onde cria um povo superior em detrimento das demais, todos somos iguais e temos os mesmos direitos, de sermos, de expressamos e de se contra aquilo que cada um julga contra os seus conceitos. Entendemos que todos devem respeitar todos independentes de suas escolhas. Isso e uma besteira, tantas outras coisas que o Pais precisa, vamos ficar perdendo tempo com vaidade de um grupo ou de grupos? Seja evangélico, católico, rico, pobre ???etc...Pelo amor de Deus, vamos amadurecer, o homem já esta bastante crescido para perder tempo com coisas insiguinificantes... Todos devem ser felizes ao seu modo, claro respeitando o direito de cidadão do outro.
Outro sim, a comunidade Evangélica deve se mobilizar em favor de seus direitos, esses adquiridos mediante a constituição. Mostramos a nossa força na eleição para presidente, somos fortes, decidimos muitas coisas, devemos nos unir-mos independente da denominação, pois se um uma lei como essa passar no congresso nacional o pais estará retroagindo, saindo a favor de uns e contra a outros, o país e laico e tem que ser afavor de todos. lutem pela igualdade, pelo o acordo, com diálogo, com a bandeira da paz erguida, respeitando e sendo respeitados.
Sou a favor da palavra do Pr. Silas Malafaia.
Pr. Marcelo Farias.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

UM NOIVADO QUE AGRADA A DEUS



O noivado é a última etapa cujo o desfecho é o casamento. É uma aventura rumo ao desconhecido, mas com pré-requisitos que não podem ser deixados de lado e que são essenciais na vida daqueles que realmente almejam viver segundo a vontade de Deus e, glorificando-O.
É bom considerar que Deus fez o homem e a mulher para que vivessem juntos e em família (Gênesis 1-3) e que estes devem seguir cada passo nesta união de forma seqüencial e uniforme.
Os noivos precisam ter em mente que há tempo para todo o propósito debaixo do céu (Eclesiastes 3.1), por isto é importante que o tempo de noivado não fique aquém, nem além das expectativas.

Estamos constantemente nos avaliando e sendo avaliados. Este processo nos auxilia na busca de sermos melhores e também nas decisões de mudanças que precisam acontecer para que ocorra um ajuste nos relacionamentos. A primeira avaliação deve estar relacionada às escolhas que já fiz: Com quem estou buscando uma vida a dois - Somos filhos do mesmo Pai (Deus)?
A Bíblia é bem clara quando fala sobre a união com um jugo desigual. O inimigo de nossas almas tem colocado como justificativas alguns questionamentos que só tem feito confundir e levar lares a serem construídos sobre areia, tais como: "Não é crente ainda não, mas tem uma vida melhor que a de muitos crentes", "Vai comigo a igreja e não me impede de ir". "Sei que através do meu testemunho, vai acabar se convertendo".
Um noivado que agrada a Deus tem início em um namoro com alguém da mesma crença ou fé. Há então o questionamento de que isto não é suficiente para um casamento bem sucedido, o que é verdade, pois se viver já é difícil, conviver é mais ainda.
Nesse relacionamento há um anseio de agradar o companheiro e isto pode trazer problemas se os noivos não têm em mente a vontade e o plano de Deus para as suas vidas, que é boa, perfeita e agradável (Romanos 12.2). Nesta etapa é importante que passem por acompanhamentos pré-nupciais, pois estes são de grande valia e auxiliam nos ajustes que são necessários para a concretização do sonho de se casar.

Este é um tempo de se estar juntos, mas de se ter cuidado com o estar a sós. É o momento em que se está mais íntimo e não podem se esquecer que a união sexual é algo que deve acontecer só após o casamento. Nesta área também deve haver muito cuidado com os enganos como: "vamos casar mesmo, o que é que tem?" Ou, "precisamos saber se combinamos nesta área também, é melhor saber agora do que se decepcionar depois". Ou ainda achar, "o adultério é que é pecado e isto só ocorre quando se é casado", não se tendo conhecimento que a relação sexual entre solteiro é denominada na Bíblia como fornicação. É importante que se reconheça as limitações e não se faça testes aos quais irá se arrepender depois.

Aproveite estes momentos de noivado para conversar bastante, traçar as metas para o grande dia, planejar para a vida futura de casados. Uma agenda de noivos é sempre aconselhável para que não sejam pegos de surpresa ou acabem entrando em dívidas, ou deixando-as para outros assumirem. O casamento é uma festa muito importante, mas precisamos ter em mente que nem sempre conseguiremos realizar tudo aquilo que sonhamos, e que a melhor coisa além de lutar pelos sonhos é manter os pés em terra firme.
Na busca de um casamento perfeito, o que não existe, o melhor que temos a fazer é buscar sempre a orientação divina e nunca negar os problemas mas, reconhecendo-os, buscar soluções para os mesmos. Lembrar sempre: "minhas provações não são maiores que o meu Deus e não vão me impedir de caminhar".

Concluindo, não existe casamento perfeito, pois somos pessoas imperfeitas; no entanto, juntos podemos construir um relacionamento que agrada a Deus. É preciso, portanto, diante do empreendimento mais importante da vida na terra - o casamento, nos posicionarmos diante de Deus para viver segundo suas orientações.
Assim, comprometido com Deus e crendo no Seu plano para uma vida a dois, esta relação deve ser construída dia a dia na direção do Espírito, não só vivendo um noivado que lhe agrada, mas também a vida conjugal que será estabelecida.