quinta-feira, 26 de novembro de 2009

CAZUZA, UM IDOTA MORTO

Parece-me que já remeti a mensagem abaixo, pelo menos para alguns. Mas, se assim foi, creio que outros não a leram.. Por isso resolvi reenviar.
Vale a pena saber a quem a nossa podre sociedade dá valor (a quem não tem, portanto).
Basílio

Esse cidadão dizia "todos os meus heróis morreram de overdose". E era aplaudido.


É ... DEVIAM COLOCAR o txt abaixo NUM OUTDOOR LÁ NA PRAÇA CAZUZA, NO
LEBLON...
Psicóloga x Cazuza!

Esta mensagem precisa ser retransmitida para todas as FAMÍLIAS! Uma psicóloga que escreveu, corajosamente algumas verdades.

Uma psicóloga que assistiu ao filme escreveu o seguinte texto:
'Fui ver o filme Cazuza há alguns dias e me deparei com uma coisa estarrecedora.. As pessoas estão cultivando ídolos errados.. Como podemos cultivar um ídolo como Cazuza?


Concordo que suas letras são muito tocantes, mas reverenciar um marginal como ele, é, no mínimo, inadmissível. Marginal, sim, pois Cazuza foi uma pessoa que viveu à margem da sociedade, pelo menos uma sociedade que tentamos construir (ao menos eu) com conceitos de certo e errado.
No filme, vi um rapaz mimado, filhinho de papai que nunca precisou trabalhar para conseguir nada, já tinha tudo nas mãos. A mãe vivia para satisfazer as suas vontades e loucuras. O pai preferiu se afastar das
suas responsabilidades e deixou a vida correr solta.
São esses pais que devemos ter como exemplo?
Cazuza só começou a gravar porque o pai era diretor de uma grande gravadora..
Existem vários talentos que não são revelados por falta de oportunidade ou por não terem algum conhecido importante.
Cazuza era um traficante, como sua mãe revela no livro, admitiu que ele trouxe drogas da Inglaterra, um verdadeiro criminoso. Concordo com o juiz Siro Darlan quando ele diz que a única diferença entre Cazuza e
Fernandinho Beira-Mar é que um nasceu na zona sul e outro não.
Fiquei horrorizada com o culto que fizeram a esse rapaz, principalmente por minha filha adolescente ter visto o filme. Precisei conversar muito para que ela não começasse a pensar que usar drogas, participar de bacanais, beber até cair e outras coisas, fossem certas, já
que foi isso que o filme mostrou.
Por que não são feitos filmes de pessoas realmente importantes que tenham algo de bom para essa juventude já tão transviada? Será que ser correto não dá Ibope, não rende bilheteria?
Como ensina o comercial da Fiat, precisamos rever nossos conceitos, só assim teremos um mundo melhor.
Devo lembrar aos pais que a morte de Cazuza foi consequência da educação errônea a que foi submetido. Será que Cazuza teria morrido do mesmo jeito se tivesse tido pais que dissesem NÃO quando necessário?
Lembrem-se, dizer NÃO é a prova mais difícil de amor .
Não deixem seus filhos à revelia para que não precisem se arrepender mais tarde. A principal função dos pais é educar.. Não se preocupem em ser 'amigo' de seus filhos.
Eduque-os e mais tarde eles verão que você foi à pessoa que mais os amou e foi, é, e sempre será, o seu melhor amigo, pois amigo não diz SIM
sempre.'

Karla Christine
Psicóloga Clínica

Leu ?

Concorda com a psicóloga?
Então faça sua parte divulgue.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Fuja de pessoas Perssimistas rapido.

Duas crianças estavam patinando num lago congelado da Alemanha. Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam despreocupadas. De repente, o gelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou" A outra, vendo seu amiguinho preso e se congelando, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim quebrá-lo e libertar o amigo.
Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino: Como você conseguiu fazer isso? É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis! Nesse instante, o gênio Albert Einstein que passava pelo local, comentou: - Eu sei como ele conseguiu.
Todos perguntaram: - Pode nos dizer como?- É simples, respondeu Einstein: "Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz".


terça-feira, 24 de novembro de 2009

O CASAMENTO


O Casamento
A máxima dos filósofos gregos de que o "homem é um ser de necessidades" foi transmudada para "o homem é um ser social" pelos antropocentristas do Renascimento. O que, evidentemente, é um jogo de palavras, que não tem o poder de alterar a realidade: o homem continua sendo um ser de necessidades. Precisamos de outras pessoas para continuar vivendo, e continuar... existindo. Robinson Crusoé, aquele cara que vivia numa ilha perdida no meio do pacífico (lembra dele?), com certeza seria o último de sua espécie, se não pudesse encontrar alguém (do sexo oposto) com quem pudesse dividir o futuro e ter filhos. Há uma ignorância muito grande acerca do casamento entre as pessoas do mundo todo.
E, infelizmente, também dentro de nossas igrejas. O que é exatamente um casamento? As pessoas não sabem exatamente o que é casamento. E, nos tempos moder-nos, as pessoas que se casam já vão para o casamento com a idéia de que "se não der certo, separa", como se fosse uma reles aposta, onde é possível ganhar ou... perder. Aliás, é bem possível que você já tenha ouvido gente dizer que casamento é como uma loteria. Se for, podemos desistir de ter um casamento feliz. A loteria esportiva tem 999.999 números. Isto significa uma chance em um milhão. Em outras palavras, nesta ótica, somente um casal em um milhão seria feliz. Dentro de uma ótica humana, e social, o casamento é algo como o encaixe de duas partes de uma mesma moeda, que se unem em torno de objetivos comuns. Duas pessoas com valores, referências, e objetivos muito distintos não vão permanecer muito tempo juntos.
Numa outra visão, um casamento é um relacionamento de duas pessoas de sexos opostos, onde deve haver dois elementos: sexo e amizade. Os cônjuges devem ser amigos e amantes. Não apenas amigos, mas também amantes. Não apenas amantes, mas também amigos. E isto é uma coisa rara (infelizmente) entre os casais. Na maior parte dos casos são apenas amantes, que se unem numa conjunção carnal com o fito de descarregar as energias eróticas que a Natureza dotou ao ser humano. Mas não são amigos.
Não se confiam um ao outro, e nem confiam um no outro. Sabe, nós nos afastamos dos amigos que nos tratam com leviandade, aspereza, interesse, ou qualquer outro fator negativo. Mas quanto aos cônjuges, o afastamento não é assim tão simples por causa dos "eternos laços do matrimônio". O que fazer? Você já percebeu que nós evitamos fazer um monte de coisas aos nossos amigos? Mas não temos o mesmo cuidado quando se trata de nossos cônjuges? Isto é, nós tratamos melhor nossos amigos do que aos nossos cônjuges. E por isso, nós damos mais ouvidos aos nossos amigos do que aos nossos cônjuges. Nossos cônjuges não são nossos amigos... Uma pena.
Casamento é, antes de tudo, uma instituição divina. Deus instituiu o casamento, e impôs algumas bases e diretrizes. Alguns "requisitos". Os seres humanos são constituídos de três partes: corpo, alma e espírito. Um casamento é uma união entre estas três partes de duas pessoas de sexos opostos. Se não houver a união entre estas três partes, o casamento tem muito pouca chances de sobreviver ao tempo... Na verdade, uma grande parte das uniões matrimoniais que nós vemos por aí, são casamentos de aparências ou conveniências. São pessoas que já não se sentem bem na companhia do cônjuge.
Na verdade, em alguns casos, a ausência dá mais prazer do que a presença. Em outros casos, tanto faz a presença como a ausência. É indiferente. No primeiro caso, os cônjuges pensam: ruim com ele(a), pior sem ele(a). No segundo caso, os cônjuges simplesmente se acostumaram um com o outro. Não há mais paixão e carinho, mas uma coisa mecânica, repetitiva e rotineira.
1 - UNIÃO DE CORPOS
Ao contrário do que pensam as pessoas, a simples união de dois corpos, em busca de prazer não é suficiente para a manutenção de um relacionamento. A beleza de um corpo não é suficiente para manter um relacionamento. Nós vivemos numa era de pessoas hedonistas, pessoas que estão em busca do prazer. Você já ouviu a expressão: "o que importa é o prazer"? Pois é. É uma expressão destrutiva e diabólica. Você já deve ter ouvido a expressão "gosto de tal pessoa", ou algo semelhante. Gostar é um termo egoísta, que significa "me agrada". Nós gostamos de algo ou alguém que, por um motivo ou outro, nos agrada, nos atrai, e nos fascina. Ocorre que o nosso gosto está sujeito à fadiga, ao cansaço, ao desgaste, gerando o que chamo de "efeito chiclete". Você já ouviu falar do "efeito chiclete"? Não? Bem, vamos lá, então. Chicletes são gomas de mascar. Aqueles pedaços de restos de petróleo aos quais são colocados cores e sabores. Esses pedaços de borracha mole são mastigados por algumas horas (ou minutos) até que perdem o sabor. Então são jogados no lixo. O problema que está a ocorrer é que algumas pessoas (algumas?) usam as outras como se fossem chicletes. Elas ficam juntas com outras pessoas que, por um motivo ou outro, lhes agradam, usando-as, sugando-as, espoliando-as, usufruindo delas, às vezes desfilando com elas como se fossem troféus. E chega um dia em que acaba o gosto, a paixão e a doçura de sua companhia. Quando então tais pessoas são descartadas, abandonadas, jogadas no lixo, desprezadas, com a seguinte explicação: acabou-se o que havia entre nós. Só que pessoas não são chicletes, não são coisas. São pessoas, são seres humanos que tem sonhos, valores, aspirações, desejos, almas que necessitam de carinho, amor e compreensão. Podemos ver o "efeito chiclete" em casais que são invejados, cobiçados por milhões de pessoas no mundo todo. São ricos, famosos e bonitos. Mas que também estão sujeitos ao problemas comuns aos mais comum dos casais. Você já deve ter visto ou ouvido falar de Bruce Willis e Demi Moore. São ricos, bonitos e famosos. Passaram onze anos casados. E se separaram. Por quê? Porque não estavam mais se entendendo. Porque se cansaram da beleza um do outro. Porque a paixão acabou. O "gosto do chiclete" se perdeu ao longo dos anos tornando a convivência estéril, insossa e, talvez, até mesmo odiosa... A beleza de um corpo não é suficiente para a manutenção de um relacionamento. Quando uma pessoa se apaixona por outra, invariavelmente está interessada no que pode obter, sugar, retirar, gozar, usufruir. Como uma fonte que mais cedo ou mais tarde vai se secar, ou... como um chiclete que vai perdendo o gos-to. É o que também acontece com a paixão: não resiste ao tempo. E desaparece como a neblina sob o calor do sol. A paixão é egoísta, e busca satisfazer o desejo do apaixonado. A própria beleza é volátil, efêmera, transitória, passageira. Há algum tempo Isabella Rosselini, filha de Ingrid Bergman, nascida de seu relacionamento com Roberto Rosselini, foi demitida da agência de modelos para a qual trabalhava. Já está com mais de 40 anos de idade, e continua linda como sempre foi, mais não mais o suficiente para os padrões do mundo da moda. A beleza de um corpo não é suficiente para a manutenção de um relacionamento. Não apenas a beleza, mas quaisquer atributos sobre os quais fundamentamos nossos sentimentos. O segredo de um relacionamento produtivo e duradouro, é não dar muita importância ao que podemos receber do outro, mas sim o que podemos fazer pelo outro. O que acontece é que algumas pessoas (algumas?), inconscientemente, estão em busca da satisfação de suas necessidades de carinho e companhia. Até que acaba o encanto, a doçura e o mistério e as coisas começam a "andar pra trás". Mas não compreendem porque as coisas não dão mais certo entre si. Outras pessoas (uma grande maioria), agem de forma consciente e deliberada: estão apenas a usar as outras pessoas para seus propósitos egoístas. Depois que conseguem o prazer que desejam... abandonam "o bagaço" sem o menor pudor ou cerimônia. Eu gostaria de colocar nesta oportunidade que ninguém jamais será feliz sobre as ruínas da vida de outras pessoas. Utilizar-se de outras pessoas para conseguir o que se deseja (prazer, diversão, fama, fortuna, jóias, etc.), é uma prática perniciosa e destrutiva. E utilizar-se do próprio corpo para conseguir o desejado é uma coisa que a Bíblia chama de "prostituição". Amar é dar maior importância à felicidade da pessoa amada do que à própria felicidade. Nós somos felizes à medida que fazemos com que as pessoas que estão conosco sejam felizes.
2 - UNIÃO DE ESPÍRITOS
Certa vez ouvi que casar é como pegar um ônibus, temos que entrar num que vá para onde queremos ir. Pode parecer gozado, mas concluí que a afirmação é verdadeira. Não adianta tomarmos um ônibus ultra confortável, último tipo, com todos os acessórios modernos possíveis, se seu destino não for o nosso. Mais cedo ou mais tarde teremos que deixá-lo. A propósito, Wim Malgo conta a respeito de um jovem que queria trabalhar com jovens; ele tinha seis possíveis pretendentes e falou a todas a respeito de seu projeto de vida. Cinco delas desistiram e ele se casou com a sexta que tem sempre alguém mexendo na geladeira de casa ou precisando de lençóis limpos. Os futuros cônjuges devem saber o que exatamente querem que seja feito em suas vidas. Se os almejados forem demasiadamente distintos, não embarque numa canoa furada. É o que ocorre freqüentemente com pessoas que têm entre si credos diversos, um grande desnível intelectual, ou mesmo econômico, ou pessoas de culturas originárias diversas. Ressalvo, porém, que não estou de modo algum afirmando que tais uniões estejam fadadas ao fracasso, mas que o amor é delicado demais para suportar os tão grandes e freqüentes reveses que inevitavelmente virão. Duas pessoas nunca andarão juntas se entre elas não houver acordo. Não exatamente concordância, mas acordo. Os cônjuges deverão saber exatamente o que querem de suas vidas. Se o objetivo de ambos forem demasiadamente díspares, não embarque numa canoa furada.
3 - UNIÃO DE ALMAS
Olavo Bilac, um poeta simbolista que morreu já fazem alguns anos, disse, a uma certa altura de sua carreira, que devemos "deixar nossos corpos se entenderem, porque nossas almas nunca se entenderão". Confesso que às vezes sou tentado a acreditar que o poeta estava certo, tamanha a dificuldade de se unir duas almas de sexos opostos. Aliás, o Autor de Eclesiastes diz que não encontrou uma mulher entre mil, que se enquadrasse em suas exigências (Ecl.7:28). Isso pode até ter sido arrogância do Pregador, mas o fato é realmente nunca va-mos encontrar alguém que se enquadre em nossas exigências. Você lembra do Dr.Spock? Um personagem do seriado "Jornada nas Estrelas". Um ser alienígena, um vulcano cuja principal característica era não ter sentimentos, não ter emoções. Era totalmente racional. Totalmente dirigido pela ordem e pela razão. Isto fazia com que não tivesse que enfrentar as "armadilhas do coração". Mas também a sua vida não tinha cor e nem sabor. Duas almas apaixonadas estão inegavelmente unidas. Amantes tem suas almas unidas pelo desejo. A união de duas almas unidas pelos laços do sagrado matrimônio somente vão se unir com o decurso do tempo, com o longo, duro, gradual e doloroso processo de ajustamento conjugal. Não tenha ilusões, e nem se deixe enganar pela propaganda mentirosa, falsa e destrutiva da TV, dos livros e das revistas que são editadas por quem não tem o mínimo conhecimento da Bíblia e nem sequer sabem o que significa

"o temor do Senhor é o princípio da sabedoria" (Salmos 111:10). Homens são diferentes das mulheres, e as diferenças, as reentrâncias de suas personalidades devem servir para se completar, se complementar, e não para causar brigas e desentendimentos. Por isto pessoas muito iguais nunca devem se unir. Nunca haverá encaixe em suas personalidades. Nós sempre esperamos que as pessoas façam o que nós faríamos, e que reajam como nós reagiríamos. E não é diferente num casamento. Os homens esperam que suas mulheres ajam e reajam como se fossem homens. E as mulheres esperam que seus maridos ajam e reajam como se fossem mulheres. Cada qual deve entender que os anseios, as aspirações, e as necessidades de ambos não são iguais. São diferentes. E devem ser respeitadas, compreendidas e... aceitas. O que freqüentemente acontece é que cada um não quer se submeter ao seu cônjuge. Mas quer (e exige) que seu cônjuge se adeqüe às suas próprias necessidades. Isto é, não quer ser e fazer o que cônjuge precisa e necessita, mas exige que o cônjuge se mutile, se transforme naquilo que sempre quis e sonhou. Não existem "almas gêmeas". Não existem almas que foram feitas um para o outro. Esta é uma visão poética, fantasiosa e idealista que está na visão imaginária dos apaixonados e dos cantores que vendem ilusões. Não existem casamentos perfeitos, porque não existem homens e mulheres perfeitos.O que existem são casamentos que vão se aperfeiçoando a cada dia, com o aperfeiçoamento dos cônjuges. Cônjuges que vão renunciando aos seus propósitos egoístas, à sua arrogância e prepotência para se dedicar ao outro. Você está pronto(a) para encarar esse desafio? O que for feito fora desses padrões somente trará dor e sofrimento para todos. Principalmente para os familiares. Para as pessoas que estão junto contigo, e te amam, e te querem bem.

"Ponde-vos à beira do caminho e perguntai às veredas antigas qual o bom caminho. Andai nele e encontra-reis descanso para vossas almas" (Jer.6:16).
Autor: Takayoshi Katagiri

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

DIVISÃO GERA A MORTE.

Título: Dividir nunca

TEXTO: I RS. 3:16-28

TEMA: DIVISÃO GERA A MORTE.

INTRODUÇÃO: UM LÍDER COM A SABEDORIA DE DEUS DIANTE DE UMA SITUAÇÃO DELICADA. NAQUELA ÉPOCA NÃO HAVIA TESTE DE DNA, MAS O REI PRECISAVA TOMAR UMA DECISÃO E ESTA DECISÃO TERIA QUE SER ACERTADA. ELE ADOTOU UMA POSTURA FIRME: ELE NÃO DISSE “VAMOS ORAR” OU “VAMOS PEDIR A DEUS PARA NOS REVELAR”. ELE DISSE: VAMOS RESOLVER ISSO AGORA. TOMOU UMA DECISÃO ARROJADA, BASEADA NA SUA CONFIANÇA EM DEUS. PROPÔS A DIVISÃO DA CRIANÇA AO MEIO, DANDO A METADE PARA CADA UMA. PALAVRA DE REI NÃO VOLTA ATRÁS. O REI TERIA QUE CUMPRIR O QUE PROMETEU, MAS ELE AGIU NA UNÇÃO DE DEUS E NÃO FOI ENVERGONHADO.

ARGUMENTAÇÃO:
ESSA PASSAGEM NOS MOSTRA DOIS TIPOS DE PESSOA QUE VIVEM ENTRE O POVO DE DEUS. AS DUAS ACHAVAM QUE TINHAM DIREITO SOBRE ALGO, MAS AGIRAM COMPLETAMENTE DIFERENTE UMA DAS OUTRAS:

1. PESSOAS QUE VÃO ÀS ÚLTIMAS CONSEQÜÊNCIAS PARA CONSEGUIR O QUE QUEREM

PESSOAS QUE PREFEREM A DIVISÃO, AINDA QUE O QUE RESTE SEJA UM PEDAÇO MORTO.

PESSOAS SEM ESCRÚPULOS, QUE DIZEM: “NEM MEU, NEM TEU” (VS. 26). A MULHER NEM ERA A MÃE LEGÍTIMA DO BEBÊ, MAS PREFERIA VÊ-LO MORTO A VER A OUTRA FELIZ COM SEU FILHO.

PESSOAS QUE QUEREM ENCOBRIR SUA NEGLIGÊNCIA, CULPANDO O OUTRO OU USANDO OS OUTROS PARA ENCOBRIR SUAS FALHAS – DORMIU SOBRE O FILHO. (VS. 19)

2. PESSOAS QUE ABREM MÃO DE UM DIREITO LEGÍTIMO EM FAVOR DA VIDA

PESSOAS QUE SABEM QUE A DIVISÃO SÓ GERA MORTE.

PESSOAS QUE OLHAM MAIS PARA A VIDA DO QUE PARA SEUS DIREITOS ADQUIRIDOS.

PESSOAS QUE LEVAM SUAS CAUSAS A QUEM PODE JULGÁ-LAS.

PESSOAS QUE PREFEREM PERDER UMA BATALHA PARA GANHAR A GUERRA

CONCLUSÃO: QUE TENHAMOS HUMILDADE E AMOR A PONTO DE ABRIR MÃO DE NOSSOS DIREITOS A FIM DE ABENÇOARMOS OUTRAS VIDAS.

TEMA: “COMO FECHAR UMA IGREJA”.

Título: Como fechar uma igreja?
Categoria: Esboço de Sermões do Pr. Gerson


TEXTO: MATEUS 16:15-18

TEMA: “COMO FECHAR UMA IGREJA”.

ILUSTRAÇÃO:

INTRODUÇÃO: MUITOS PENSAM QUE IGREJA NÃO FECHA, MAS IGREJA FECHA. MUITOS SÃO OS CASOS CONHECIDOS DE IGREJA QUE FECHARAM AS PORTAS. OS MOTIVOS SÃO VÁRIOS: FALTA DE DINHEIRO, FALTA DE MEMBROS, AÇÃO JUDICIAL, ETC. TODA IGREJA TEM NOS SEUS ESTATUTOS O QUE TEM QUE SER FEITO CASO A IGREJA FECHE AS PORTAS. ENTÃO COMO FICA ESSA DECLARAÇÃO DE JESUS? QUE IGREJA É ESSA QUE NUNCA VAI FECHAR AS PORTAS, CONTRA A QUAL O INFERNO NÃO TEM PODER? ESSA É A IGREJA INVISÍVEL DO SENHOR, QUE EXISTE MESMO QUANDO O TEMPLO ESTÁ COM AS PORTAS FECHADAS. É UMA IGREJA SEM NOME, SEM RÓTULO, SEM DENOMINAÇÃO.

ARGUMENTAÇÃO:

A IGREJA LOCAL PODE, SIM, FECHAR SUAS PORTAS. E ESTÁ CONDENADA A FECHAR QUANDO:

1. NÃO CRER QUE JESUS É O CRISTO – ELE É O ENVIADO DE DEUS QUE VEIO AO MUNDO BUSCAR E SALVAR O QUE SE HAVIA PERDIDO. ELE TEM QUE SER O CENTRO DA IGREJA, O PRINCÍPIO E O FIM, O ALFA E O ÔMEGA, O CORDEIRO DE DEUS, O LEÃO DE JUDÁ, A RAIZ DE DAVI, O PRÍNCIPE DA PAZ, MARAVILHOSO, CONSELHEIRO, DEUS FORTE, PAI DA ETERNIDADE. SE A IGREJA MUDAR SUA MENSAGEM E COLOCAR OUTRAS COISAS NO LUGAR DA PREGAÇÃO DE JESUS COMO SALVADOR, ESTÁ CONDENADA A FECHAR AS PORTAS.

2. NÃO CRER EM UM DEUS VIVO – NOSSO DEUS NÃO É UM DEUS DE PAU NEM DE PEDRA. MAS ÀS VEZES O TORNAMOS UM DEUS MORTO EM NOSSAS VIDAS. AS PESSOAS ESTÃO CANSADAS DE UM DEUS MORTO, DE UM DEUS QUE NÃO PARTICIPA, DE UM DEUS QUE NÃO TEM PODER, DE UM DEUS QUE AGIU ONTEM, MAS NÃO AGE MAIS HOJE. A IGREJA QUE NÃO PREGA UM DEUS VIVO, COM CERTEZA VAI FECHAR AS PORTAS.

3. NÃO ESTAR EDIFICADA SOBRE A PALAVRA DE DEUS – JESUS DISSE A PEDRO: “TU ÉS PEDRINHA”, MAS SOBRE ESTA “ROCHA” EDIFICAREI A MINHA IGREJA. NO GREGO SÃO DUAS PALAVRAS BEM DIFERENTE. A PEDRA SOBRE A QUAL JESUS EDIFICA SUA IGREJA É A DECLARAÇÃO DE PEDRO: “TU ÉS O CRISTO, O FILHO DO DEUS VIVO”. E TODA IGREJA TEM QUE ESTAR EDIFICADA SOBRE ESSE FUNDAMENTO. NÃO PODE ESTAR EDIFICADA SOBRE USOS E COSTUMES, FILOSOFIAS E CONJUNTO DE “ISSO PODE”, “ISSO NÃO PODE”. IGREJA QUE NÃO ESTÁ FUNDAMENTADA SOBRE A PALAVRA DE DEUS VAI FECHAR, COM CERTEZA.


Título: Comer com Deus

TEXTO: LC. 14:15-24

TEMA: “COMER COM DEUS”

ILUSTRAÇÃO:

INTRODUÇÃO: FALAR SOBRE A IMPORTÂNCIA QUE A BÍBLIA NOS MOSTRA DE SE COMER JUNTO. NO AT ISSO FICA ENTENDIDO NO FATO DE DANIEL NÃO TER ACEITADO COMER DOS MANJARES DO REI, AFIRMANDO QUE COM ISSO IRIA SE CONTAMINAR. (DN. 1:8). ELE SABIA QUE QUEM COME JUNTO TEM UMA ALIANÇA ENTRE SI. NO NT, EM LC. 22:15, JESUS DIZ: “MUITO DESEJEI COMER CONVOSCO...”. EM I CO. 11:33 DIZ QUE A CEIA TEM, PRINCIPALMENTE, O SENTIDO DE SE COMER JUNTO, EM COMUNHÃO, E QUE PARA ISSO DEVERÍAMOS ESPERAR UNS PELOS OUTROS. A IGREJA EM ATOS 2:46 PARTIA O PÃO DE CASA EM CASA COM ALEGRIA E SIMPLICIDADE. EM AP. 3:20 JESUS DIZ: “EIS QUE ESTOU À PORTA E BATO, SE ALGUÉM ABRIR, CEAREI COM ELE.”

ARGUMENTAÇÃO: O TEXTO NOS MOSTRA QUE CERTO HOMEM (SIMBOLIZANDO O NOSSO DEUS), DEU UMA GRANDE FESTA E DESEJOU TER COMUNHÃO COM ALGUMAS PESSOAS COMENDO COM ELAS. O TEXTO NOS DIZ QUE ELE:

1. CONVIDOU A MUITOS – (VS. 16) – TER COMUNHÃO COM DEUS NÃO É PRIVILÉGIO SÓ DE UNS POUCOS. EM AP. 22:17 DIZ: “QUEM TEM SEDE VENHA E BEBA...”

2. MANDOU SEUS SERVOS CONVIDAREM – (VS. 17) – É O MÉTODO QUE DEUS USA: ELE CONVIDA ATRAVÉS DE SEUS SERVOS. TALVEZ MUITOS AINDA NÃO ACEITARAM O CONVITE POIS ESPERAM RECEBÊ-LO DA BOCA DO PRÓPRIO DEUS, COMO ACONTECEU COM PAULO NO CAMINHO DE DAMASCO.

O TEXTO NOS MOSTRA TAMBÉM QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS CAUSAS QUE NOS IMPEDEM DE ACEITAR O CONVITE DO SENHOR:

1. OS BENS MATERIAIS – (VS. 18) – UM DOS CONVIDADOS DISSE: “COMPREI UM BEM E PRECISO CUIDAR DELE. NÃO TENHO TEMPO PARA COMER COM O SENHOR”. QUANTAS VEZES OS BENS MATERIAIS IMPEDEM AS PESSOAS DE SEGUIREM AO SENHOR JESUS. O JOVEM RICO, DE MC. 10:17-23, ILUSTRA BEM ISSO, QUANDO JESUS DISSE: “QUÃO DIFICILMENTE ENTRARÁ NO REINO DE DEUS OS QUE TÊM RIQUEZAS. EM MT. 6:24 DIZ QUE NÃO PODEMOS SERVIR AO SENHOR E ÀS RIQUEZAS. É UM OU OUTRO. EM MT. 13:22 DIZ QUE A SEMENTE QUE CAI ENTRE OS ESPINHOS SÃO AQUELES QUE SÃO SEDUZIDOS PELAS RIQUEZAS E SUFOCAM A PALAVRA.

2. O TRABALHO – (VS. 19) – OUTRO DISSE: “COMPREI CINCO JUNTAS DE BOIS E ESTOU TRABALHANDO DIRETO. NÃO TENHO COMO IR COMER COM O SENHOR”. MUITOS ESTÃO TÃO OCUPADOS FAZENDO CARREIRA NO TRABALHO QUE NÃO TÊM TEMPO PARA DEUS. DEVO DIZER QUE O TRABALHO É UMA BÊNÇÃO NA VIDA DO HOMEM. NO ENTANTO DIZ A PALAVRA EM SL. 127 QUE É INÚTIL ACORDAR CEDO E DAR DURO, SE DEUS NÃO ABENÇOAR O TRABALHO DE NOSSAS MÃOS.

3. A FAMÍLIA – (VS. 20) – OUTRO AINDA DISSE: “CASEI-ME E NÃO POSSO IR...”. A FAMÍLIA TEM SIDO OBSTÁCULO PARA MUITOS SEGUIREM AO SENHOR. EM MT. 14:26 JESUS DIZ: “SE ALGUÉM QUER ME SEGUIR E NÃO AMAR MENOS A SUA FAMÍLIA, NÃO PODE SER DIGNO DE MIM...”. EM MT. 8:21,22 UM JOVEM DISSE; “SENHOR, EU VOU TE SEGUIR, MAS PRIMEIRO PRECISO SEPULTAR MEU PAI”. E JESUS RESPONDE: “DEIXE OS MORTOS SEPULTAREM SEUS MORTOS...” . NA CULTURA JUDAICA, O FILHO MAIS NOVO SÓ PODERIA SAIR DE CASA APÓS SEPULTAR O PAI. ISSO PODERIA DEMORAR ANOS.

CONCLUSÃO: DEUS QUER COMER CONOSCO, ISTO É, ENTRAR EM ALIANÇA CONOSCO. ELE TEM CONVIDADO A MUITOS ATRAVÉS DE SEUS SERVOS. MUITOS TEM RECUSADO SEU CONVITE, PRINCIPALMENTE POR CAUSA DO AMOR ÀS RIQUEZAS, POR CAUSA DA GANÂNCIA EM FAZER CARREIRA NO TRABALHO E POR CAUSA DA FAMÍLIA.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Trabalho feminino na ESLAVEC reúne 700 mulheres




A Escola de Líderes da Associação Vitória em Cristo (ESLAVEC) não só reuniu pastores como também suas esposas, com o objetivo principal de trabalhar o casal como um todo. Por isso, foi preparada uma programação especial, que teve início nesta manhã (27/10), para tratar de assuntos de relevância com as cerca de 700 mulheres presentes.

A coordenadora do trabalho feminino, Drª Elizete Malafaia, explica que não adianta só o pastor crescer emocional e espiritualmente, e a esposa não. Os dois trabalham juntos na igreja, formam uma unidade – sem contar que muitas também são pastoras. “Então, é preciso envolvê-las neste trabalho de capacitação múltipla e troca de experiências para que possam ser alicerçadas. Elas vêm se doando muito como esposa, mãe, mulher de Deus. Precisam também ser abastecidas, para, assim, continuarem sendo um canal de bênção e crescer espiritual, física, emocional e materialmente”.

Nesta manhã, enquanto os pastores participavam de uma conferência com o pastor Estevam Fernandes, as esposas desfrutaram de um trabalho direcionado, dirigido pela Drª Elizete Malafaia. Na ocasião, Rachel Malafaia, Danielle Cristina e Raquel Mello ministraram os momentos de adoração. E a mensagem principal ficou a cargo da coordenadora Albertina Malafaia, que trouxe uma palavra de ânimo, encorajamento e reflexão.

Intitulada Como vai a sua casa?, sua mensagem abordava a importância da educação dos filhos, tendo como texto-chave 2 Reis 4.17-20. “Sei que muitas coisas nos levam ao pecado, mas também muito poderia ser evitado se educássemos nossos filhos com sabedoria nos caminhos do Senhor”, externou. “Quero conscientizá-las de que todas nós precisamos tomar uma posição diante de Deus perante este mundo tenebroso, pois o diabo não brinca de ser diabo. Mas existe crente que brinca de ser crente. E isto é perigoso!”






A missionaria Dulcinéa Pontes louvou ao SENHOR por sua grandeza por reunir em só lugar mulheres de todo pais e de mais de 200 denominações. "Fiquei maravilhada pela união e pela presença de Deus em nossas reuniões, isso veio reafirmar a imporancia da mulher no corpo de Cristo.

Myles Munroe: “De covardes a guerreiros corajosos”29/10/2009

A última conferência da ESLAVEC desta quarta-feira (28/10) já começou impactando os presentes. Assim que Dayan de Alencar começou o período de louvor, a unção de Deus contagiou o salão de convenção de tal forma que era quase impossível segurar as lágrimas e resistir à vontade de prostrar-se diante de Deus. Tanto que pastor Silas Malafaia pegou o microfone e pediu para as quase dois mil pessoas ficarem durante dois minutos apenas dando glórias ao Senhor.

Dando continuidade ao período de adoração, Eyshila louvou Tu és fiel, pastor Jairinho cantou Tô abençoado!, e Danielle Cristina, Tu és santo. Mas tudo isso era só começo do que iria acontecer nessa noite. Quando assumiu o púlpito, Dr. Myles Munroe já deixou os participantes extasiados. “Não estou aqui para fazê-los líderes, porque vocês já o são. Mas para identificá-los”.

Essa seria apenas a primeira mensagem que ele ministraria na ESLAVEC. Fundador e presidente do ministério Bahamas Faith, em Nassau, Bahamas, Dr. Myles é um conferencista internacional que capacita pessoas a descobrir o propósito divino para elas e a desenvolver o seu verdadeiro potencial. E nesta Escola, a intenção dele é abordar a questão: o poder de ser servo e liderança.

Em sua primeira mensagem, ele ressalta que nada acontece, nada muda, nada se desenvolve, nada melhora nem é corrigido sem liderança. “Todos, em todo lugar, em todo o tempo, estão sempre sendo liderados. E o importante a entender é que a liderança determina tudo; é a natureza, a cultura e a mentalidade de Deus.”

Ele ressaltou ainda que a liderança é o desafio número 1 da raça humana, e que o mundo hoje está sofrendo por causa de líderes incompetentes, sem treinamento, uma realidade que também é vista dentro da igreja. “Muitos de nossos pastores não foram treinados, apenas consagrados”, completa.

Sua mensagem elucidativa mostrou um novo ângulo de entender-se o conceito de liderança, fazendo analogias. Uma delas foi a relação entre o leão, rei da selva, e o elefante. “O leão não é o animal mais alto da floresta nem maior. Não é o mais inteligente, mais poderoso nem o mais forte, mas é o líder. Assim acontece conosco. Mesmo que não sejamos tudo isso, também podemos ser líderes, porque liderança é uma questão de atitude”.

Dr. Myles explicou que os verdadeiros líderes não vivem pelo que veem, mas de acordo com o que eles pensam. “O leão vê um animal muito maior, mais forte, como um elefante, e mesmo assim pensa nele como o almoço. O leão acredita em algo sobre si próprio que o faz maior e mais forte do que o elefante. Ele acredita em seu potencial e em suas qualidades. E tudo isso produz confiança, e o faz traçar estratégias para alcançar seu objetivo”.

A partir desse conceito, mostrou que atitude é um produto da crença. “Quando você sair, ande como um leão. Você veio com medo a este lugar, mas voltará para a sua igreja corajoso. Vá e termine o que você começou; devore aquele elefante que está à sua frente lhe impedindo de prosseguir”.
Logo que pronunciou estas palavras, a plateia se levantou emocionada e começou a glorificar a Deus, pois entendeu que um exército de ovelhas guiado por um leão vai sempre derrotar um exército de leões dirigido por uma ovelha, ou seja, pelo servo fiel de Deus. Afinal, a liderança pode transformar covardes em guerreiros poderosos.

NÃO ORAR PELOS MORTOS!!

O dia de finados foi instituído no século X por Santo Odílio, abade beneditino de Cluny, na França, para os mosteiros de sua ordem especificamente, até que a igreja católica universalizou a data.

Conforme o Monsenhor Arnaldo Beltrami, o dia de finados é o dia da celebração da vida eterna das pessoas queridas que já faleceram. É o dia do amor, porque amar é sentir que o outro não morrerá jamais. Para Beltrami, finados é a celebração da vida eterna que não vai terminar nunca, pois a vida cristã é o viver em comunhão íntima com Deus, agora e para sempre.

De acordo com a doutrina romanista, no dia de finados, os católicos não festejam a morte, mas a certeza da ressurreição. Em cada sepultura vê-se a imagem da páscoa cristã e a promessa da vida eterna, como vontade e desejo de Deus.

Desde o século I, os cristãos rezam pelos falecidos. Visitavam os túmulos dos mártires nas catacumbas para rezar pelos que morreram sem martírio. No século IV, já encontramos a memória dos mortos na celebração da missa. Desde o século V, a igreja dedica um dia por ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava e dos quais ninguém se lembrava, até que no século XI os Papas Silvestre II (1009), João XVIII (1009) e Leão IX (1015) obrigam a comunidade a dedicar um dia por ano pelos mortos.

A partir do século XIII, esse dia anual por todos os mortos passou a ser comemorado no dia 2 de novembro, porque no dia 1º de novembro se realiza a festa de todos os santos. O dia de todos os santos celebra todos os que morreram em estado de graça e não foram canonizados. O dia de finados celebra todos os que morreram e não são lembrados na oração do dia de todos os santos, devendo acender uma vela no cemitério para simbolizar a vida eterna do falecido.

Para os católicos, dizer que quando uma pessoa morre acabou não é verdade. Crêem que o testemunho de vida daquele que morreu fica como luz acesa no coração de quem continua a peregrinação. Esse é um dos significados da vela que se acendem nos cemitérios: a luz do irmão não se apagou. A luz da fé reacende a chama dos corações. No dia de finados, ao acenderem velas, os católicos buscam para si a iluminação interior que, sabemos pala Palavra de Deus, só é encontrada em Cristo Jesus, João 12.46.

Por essas considerações doutrinárias e informações históricas, creio que os verdadeiros cristãos não devem celebrar o dia de finados. Não há certeza de ressurreição sem Cristo e não há possibilidade de vida eterna sem que haja fé salvadora no coração enquanto vivos, João 3.16; João 11.25-26.

A Bíblia é clara ao asseverar que após a morte só nos resta o juízo de Deus, Hebreus 9.27; Mateus 25.31-46, alertando para o fato de toda e qualquer decisão por Cristo deve ser tomada em vida. Não há base bíblica para se orar, rezar ou se penitenciar pelos mortos, mas sim um mandamento imperativo de Jesus para se proclamar o evangelho para os vivos, Mateus 28.19-20.

É verdade que o amor pelos entes queridos não cessa com a morte, da mesma forma que é verdadeiro o fato de que o testemunho daqueles que morreram também não cessa com o sepultamento, Hebreus 11.4. Porém, acreditar que os mortos estejam na sepultura, no purgatório ou no limbo aguardando uma segunda oportunidade para a salvação é prova de total desconhecimento da Palavra de Deus. Infelizmente este engodo é fomentado pelo romanismo, bem como por alguns seguimentos ditos evangélicos, mas devemos rejeita-lo com veemência bíblica.

A Palavra de Deus assevera que a salvação é alcançada a partir do arrependimento, conjugado à fé incondicional em Jesus, Atos 3.19; Romanos 3.21-26, razão pela qual devemos compreender e aceitar a dura realidade da perdição eterna daqueles que amamos, mas que morreram sem Cristo. Se não proclamamos ou se não testemunhamos de Jesus durante a vida de nossos entes queridos, não adianta chorar ou se penitenciar e nem mesmo acender velas ou reformar sepulturas, no dia de finados, pois a dura realidade é a de que deixamos escapar a oportunidade de conduzir nossos familiares a Jesus enquanto viviam, restando-nos, agora, apenas a tristeza e a certeza de que o sangue deste inocente está em nossas mãos, do que prestaremos contas ao Senhor, Ezequiel 3.20.

Amados irmãos e irmãs, não devemos celebrar o dia de finados, mas sim proclamar Vida que Jesus deseja oferecer aos nossos entes queridos. a partir do nosso testemunho e da pregação do evangelho verdadeiro que vivenciamos em nosso cotidiano.

Assim como Jesus asseverou que cabe aos mortos cuidar e sepultar os seus mortos, Lucas 8.59-60, devemos transformar todos os nossos dias em dias de Vida em Jesus. Assim sendo, pela fé e motivados pelo nosso testemunho, nossos familiares e amigos encontrarão Vida em Jesus.